8 de maio de 2012

Muralha


Criei barreiras em torno de mim, para ver se suportava as pancadas do mundo, fiz escudos em aço sobre mim para ver se me tornava mais invencível, fiz o possível e o impossível para não ficar vulnerável as pessoas.
De um coração humano, se fez uma rocha. E por mais que eu me tornasse quase intocável e forte uma coisa era perceptível, ainda assim algo que acertava em um ponto fraco.
O tempo passou, minha muralha só aumentava, junto com meu desejo de não fragilidade, mais ao envés de uma pessoa intocável, sou somente mais um solitário, e por isso o mais vulnerável de todos .

Autora: Danny Soares

0 comentários:

Postar um comentário

 
Design by Wordpress Theme | Bloggerized by Free Blogger Templates | free samples without surveys